Weby shortcut
facebook Cai

Depoimentos - Ciência sem Fronteiras/CAPES

Atualizado em 23/07/15 15:57.

O que é? Mobilidade para países parceiros do CsF 

Candidatos: Estudantes de graduação, doutorado e docentes (pós-doutorado) das áreas contempladas pelo programa. 

Benefícios: Bolsa mensal, passagem, auxílio instalação, seguro saúde pagos pelo governo brasileiro. 

ÚLTIMO EDITAL 023/2014

SITE: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/home

 

Alexandre Mesak 

 NOME: Alexandre Mesak Ferreira

CURSO: Ciências Biológicas Bacharelado,

DESTINO: Estados Unidos da América, Albany, Nova Yorque

 

DEPOIMENTO:

 A possibilidade de vivenciar outra cultura e de aprimorar o meu domínio da língua inglesa me motivou a estudar no exterior. Considerando minha experiência pessoal, gostei de ter feito amizade com pessoas de todo o mundo e de ter conhecido um pouco de suas culturas, pois a Universidade de Nova Yorque em Albany recebe muitos alunos internacionais. De ter conhecido vários lugares nos Estados Unidos e surpreendentemente, de ter conhecido pessoas de todas as regiões do Brasil. Também foi relevante ter morado sozinho, pois nunca havia tido essa oportunidade.Do ponto de vista acadêmico, gostei de ter feito o curso intensivo de inglês, que ajudou a melhorar muito o meu inglês. De ter cursado matérias sobre primatas e evolução humana, que são os assuntos que mais me interessam em Ciências biológicas, e que não existem na Universidade Federa de Goiás. Além disso, gostei de ter feito estágio estudando evolução humana. Para os estudantes que têm interesse de estudar no exterior eu diria a estes que não hesitassem que corressem atrás dessa oportunidade e tivessem o privilégio que tive de conhecer outro mundo e de expandir meus horizontes. Diria que essa experiência não tem preço! 

    Aquila Silva

 NOME: Aquila Silva Levindo

CURSO: Engenharia Ambiental e Sanitária

DESTINO: Estados Unidos da América, Tucson, Arizona

 

DEPOIMENTO:

A busca por novas tecnologias, novas culturas e novas experiências profissionais me motivaram a estudar no exterior. Dessa experiência o que mais me chamou atenção e que eu mais gostei foi a diversidade cultural presente em um país como os Estados Unidos. O contato com várias culturas falando uma só língua, a facilidade para ir e vir e as tecnologias implementadas pelas universidades norte-americanas foram sem dúvida o conjunto de melhor parte do intercâmbio. Para os estudantes que têm interesse na mobilidade acadêmica digo que se a oportunidade aparecer na sua vida, jamais deixe-a passar. É uma experiência incrível, única e que muda a sua vida, o seu modo de ver o mundo e suas ambições como pessoa e profissional. 

            Átila Gonçalves Barcelos da Silva

 NOME: Átila Gonçalves Barcelos da Silva

DESTINO: Sigmaringen - BW, ALEMANHA

DEPOIMENTO:

O que me motivou a estudar no exterior foi a experiência profissional. Através da mobilidade acadêmica explorei a minha individualidade, expandi noções culturais, conheci maneiras diferentes de se viver, aprendi novas habilidades, lidei com problemas inéditos (como a distância, a língua estrangeira, responsabilidades financeiras e da saúde), vislumbrei melhor o valor existente nos conceitos de família e amigos, conheci apropriadamente os meus próprios limites em situações diversas e obtive muitas ideias que podem estar participando do meu e do futuro dos que estão à minha volta. Para outros estudantes que têm interesse de estudar no exterior, digo que faça a mobilidade acadêmica  seja para melhorar o seu currículo ou meramente expandir seus horizontes. Um intercâmbio não só irá proporcionar uma viagem cheia de surpresas, como também uma experiência repleta de aprendizados que só têm a acrescentar para o seu futuro, de uma maneira ou de outra. Estudar no exterior é um desafio delicado por estar oferecendo uma grande oportunidade em troca de abandonar tudo o que lhe é familiar, entretanto o que são um, dois anos distantes de pessoas queridas que desejam compartilhar o restante de suas existências em comunhão? Esse é o tipo de decisão que não há como se arrepender após ser vivida.

          Átila Gracco

 NOME: Atila Gracco da Silva

CURSO: Engenharia de Computação

DESTINO: Estados Unidos – Southfield

 

DEPOIMENTO:

O que me motivou a estudar no exterior primeiramente foi a vontade em melhorar minhas experiências profissionais no campo de engenharia e secundariamente o aperfeiçoamento de uma segunda língua.A experiência profissional advinda da participação de um estágio no período de verão, no qual tive a oportunidade de trabalhar com um grupo de engenheiros de diversas nacionalidades, que proporcionou uma experiência não somente profissional mas também cultural excepcional foi o que mais gostei da mobilidade acadêmica. Essa é uma experiência magnífica e inigualável, recomendo fortemente a todos que estejam cogitando a hipótese em estudar fora.  

 Camila Cristina

 NOME: Camila Cristina de Oliveira Alves

CURSO: Biomedicina

DESTINO: Inglaterra, Cambridge

 

DEPOIMENTO:

Minha motivação foi a de aprender e aprofundar meus conhecimentos acadêmicos e científicos, agregar valor e experiência ao meu currículo e aprimorar o meu inglês. Além da oportunidade de conhecer novos pesquisadores e fazer contatos para um futuro projeto.O que mais gostei foi conviver com pessoas de diferentes nacionalidades, conhecer pesquisadores e professores da universidade, e visitar lugares incríveis. A experiência de uma nova abordagem de estudo foi muito proveitosa, tive que escrever vários trabalhos e criar o hábito de estudar e aprender as coisas por conta própria. Minha experiência no estagio de verão no laboratório de microbiologia ampliou meus conhecimentos na área e tive a oportunidade de praticar vários procedimentos de pesquisa que não conhecia. Eu encorajo todos os estudantes a estudar no exterior, é uma experiência maravilhosa que agrega muito conhecimento, tanto para a vida profissional quanto pessoal. Aconselho estudar/praticar o inglês o quanto antes, já que todos nós vamos precisar um dia e independente do país que você deseja ir o inglês irá te auxiliar. 

 Carlos Murilo

NOME: Carlos Murilo da Silva Filho

CURSO: Engenharia de Minas

DESTINO: Austrália

 

DEPOIMENTO:

Sempre tive vontade de estudar em uma faculdade internacional e de ponta. A vontade de tentar ser alguém com habilidades para ajudar as pessoas crescerem também me motivou a buscar conhecimento no exterior.Gostei da forma como as pessoas vivem, como elas conseguem fazer com que as coisas funcionem da melhor maneira possível. Gostei da forma como os professores ensinam os alunos a procurarem o conhecimento que não dá tempo de ser transferido em sala de aula. A forma como as pessoas respeitam umas as outras, dá uma sensação de liberdade, de que você pode ser você mesmo sem ninguém julgar ou tentar fazer com que você seja um excluído. Gostaria de dizer aos estudantes que tem vontade de ir estudar no exterior e tem a chance, que não a deixem passar em branco. Uma chance única, que no início parece ser difícil e “louca” ao mesmo tempo, mas que com o tempo e dependendo do foco de cada um, se torna uma experiência inexplicável. A chance que você tem para se tornar uma pessoa melhor, pode ser a mesma chance que você tem para ajudar as pessoas que estão ao seu redor a serem pessoas melhores também. Ser um intercambista vai além de um currículo valioso, ser um intercambista é poder crescer profissionalmente, academicamente e principalmente em valores pessoais. Ter a chance de ver e viver uma nova cultura é uma experiência impressionante, é como descobrir a si mesmo depois de décadas vividas.

 

            Cássio Guimarães

 NOME: Cássio Guimarães Oka

CURSO: Engenharia Mecânica

DESTINO: Inglaterra

 

DEPOIMENTO:

O que me motivou a estudar no exterior foi o aperfeiçoamento do segundo idioma e estudar as matérias de engenharia mecânica a partir de uma abordagem diferente da brasileira. O que mais gostei da mobilidade acadêmica foi da organização de um país de primeiro mundo e aprendi alguns passos importantes para melhorar a sociedade onde moro. Aos outros estudantes que tem interesse em estudar no exterior eu diria que é a experiência mais enriquecedora que um jovem universitário pode ter. Entender as outras sociedades te ajuda a entender a sua própria e cria caminhos para o aperfeiçoamento da mesma.

      Ciro de Magalhães

NOME: Ciro de Magalhães

CURSO: Engenharia Mecânica

DESTINO: Estados Unidos da América

 

DEPOIMENTO:

Os benefícios que um inglês fluente, e que essa experiência poderiam trazer no ambiente profissional foram fatores que me motivaram a estudar no exterior. A cordialidade americana, uma mente mais aberta às diferenças, e um conhecimento histórico e cultural foram as experiências mais relevantes. E sem sobra de dúvidas o que mais gostei foi poder conhecer pessoas novas. Para os estudantes que têm interesse em estudar no exterior digo para ir e aproveitar a oportunidade de conhecer novas pessoas. Evitem ficar sempre presente de pessoas de mesma nacionalidade, desfrutem de todos benefícios que lhes forem oferecidos.

 

                                                                                                                              Daniela Cândida

 

NOME: Daniela Cândida Barbosa

CURSO:  Design Gráfico

DESTINO: EUA, Phoenix, Arizona State University

 

DEPOIMENTO:

Sempre quis esta experiência de sair do país para conhecer outra cultura motivada pela experiência de outros amigos que já tinham ido e gostaram muito. A Universidade que estudei tinha uma estrutura muito boa, era a maior universidade dos EUA em número de estudantes, o que permitiu que eu conhecesse pessoas do mundo inteiro. Ela também oferecia uma infinidade de matérias em várias áreas que a UFG é muito carente, e com isso consegui aprender coisas que não seriam possíveis aqui no Brasil. Eu recomendo e muito que as pessoas tentem o máximo possível fazer um intercâmbio seja onde for. Toda experiência durante o período fora do país é importante e te faz crescer tanto como profissional quanto pessoa. Pra mim foi muito importante conhecer outra cultura , o que me fez ver o mundo sob uma outra perspectiva e perceber que meu sucesso só depende do meu esforço e dedicação.

 Guilherme Milhomen

NOME: Guilherme Milhomem da Silva

CURSO: Engenharia Ambiental

DESTINO: Canadá, Toronto

 

 

DEPOIMENTO:

O maior motivo de estudar no exterior foi a possibilidade de conhecer um novo “mundo” com pessoas, clima e cultura diferentes. Além disso, a possibilidade de conhecer um novo modo de entender a Engenharia Ambiental e a língua estrangeira, no caso o inglês, também me motivaram. O que eu mais gostei foi a vida acadêmica. A universidade em que estudei é uma das mais conceituadas do mundo e possui uma incrível estrutura e professores bastante qualificados. Tais professores foram os que desenvolveram os livros que estudei durante esse tempo, mostrando a qualidade ímpar de tal profissional. Além disso, laboratórios e salas altamente preparadas para o aluno. A oportunidade de estudar no exterior é única e todos deveriam ter essa experiência. De fato, eu cresci bastante na vida profissional, acadêmica e pessoal de uma forma singular e incrível. Conhecer uma nova cultura, fazer novos amigos, conhecer novos lugares, aprender a conviver com culturas diferentes, adaptar a um novo clima, estudar mais do que o acostumado e aprender a viver longe da família, são exemplos de como uma vida no exterior pode mudar a vida de qualquer pessoa.

 

    Gustavo Henrique

NOME: Gustavo Henrique Pereira Gonçalves

CURSO: Ciência da Computação

DESTINO: Estados Unidos

 

DEPOIMENTO:

A oportunidade de estudar no exterior sempre me chamou atenção pelo fato de se envolver em um novo meio de ensino e em uma nova cultura. Sempre tive a curiosidade de saber como era fora do Brasil, como era o ensino e como podemos desenvolver melhor o ensino no Brasil. Eu gostei muito da pesquisa que tive a oportunidade de fazer no verão. Fiquei 2 meses na Indiana University. Lá trabalhei com um gênio da visão computacional reconhecido mundialmente pelos seus feitos. Fico muito feliz de ter tido essa oportunidade. Cada momento foi incrível. Não vou dizer que é fácil ficar longe de casa, sair do conforto e da rotina. Mas dê uma oportunidade a você de viver uma experiência incrível e única!

 Hannah

NOME: Hannah Paula Mesquita Cavalcante

CURSO: Química

DESTINO: Hungria, Budapeste

 

DEPOIMENTO:

A oportunidade de me desenvolver melhor academicamente e pessoalmente me motivou a realizar a mobilidade acadêmica. O que tirei de mais relevante dessa experiência foi o crescimento pessoal, conhecer outras culturas, outros lugares, outras pessoas complementes diferentes. Diria aos estudantes que tem o interesse em estudar no exterior  que essa  é uma excelente oportunidade e para ir sem medo.

 

       Igor

 

NOME: Igor da Silva Cardoso

CURSO: Engenharia Química

DESTINO: Canadá, Toronto

DEPOIMENTO:

Com a mobilidade acadêmica, busquei melhorar o segundo idioma, ter oportunidade de errar e aprender com meus erros e aprender a conviver com outras pessoas, tanto de cultura e ideias diferentes das minhas.Tive a oportunidade de aprender bastante sobre mim mesmo e também tive a oportunidade de ter um conhecimento mais interdisciplinar na engenharia, aproveitando o período para cursar matérias de outras engenharias, como eng. Mecânica e elétrica.Para os estudantes que têm interesse em realizar o intercâmbio digo que busque não só uma boa universidade, mas também um lugar onde você tenha oportunidade de fazer um estágio ou um projeto de pesquisa, isso será um diferencial na sua estada fora do país.

 Jéssica Pereira

NOME: Jéssica Pereira Tavares

CURSO: Arquitetura

DESTINO: Portugal, Lisboa

 

DEPOIMENTO: 

O desejo de conhecer novas culturas, novas línguas, experimentar uma independência financeira e os métodos de ensino que são aplicados fora do Brasil me motivaram a realizar a mobilidade. O simples fato de viajar já é por si só enriquecedor, quando se tem a oportunidade de conviver com uma cultura diferente, enfrentando problemas, dificuldades e alegrias a mente se abre de uma forma que o torna mais humano.O contato com outras culturas me proporcionou muitas experiências. Posso dizer que amadureci muito durante esse tempo, aprimorei tanto os conhecimentos acadêmicos quanto a capacidade de adaptação e socialização em um universo completamente desconhecido. Esse contato com as diferenças nos torna mais tolerantes, menos preconceituosos e por consequência mais humanos. Creio que é a experiência em que todos deviam se propor.Estudar no exterior com toda a certeza vai ser a melhor experiência da vida de qualquer estudante que se candidatar a este desafio. No princípio tudo pode parecer difícil, mas com o tempo vão perceber que cada segundo valerá muito a pena, que o conhecimento ganho durante esse período irá transformar a concepção de vida, espaço e principalmente irá mostrar que o respeito nos torna seres mais sábios e por consequência mais humanos.  

 Jéssica Vieira

NOME: Jéssica Vieira Teixeira

CURSO: Ciências Biológicas

DESTINO: Austrália, Melbourne

 

DEPOIMENTO:

Aprender um novo idioma foi a minha principal motivação para estudar no exterior. Acredito que estudar no exterior acrescentou muito à minha formação profissional e me ajudou a construir auto-confiança e independência, contribuindo também para a minha vida pessoal. Além disso, os australianos em geral me receberam com muito entusiasmo e sempre se mostraram dispostos a ajudar. Essa característica, que é muito evidente na cultura australiana, contribuiu para que eu pudesse me adaptar com maior facilidade ao novo país e concluir com sucesso essa experiência. As contribuições e valores adquiridos a partir da cultura australiana são imensuráveis, e isso será de grande relevância na hora de aplicar o conhecimento adquirido na minha região. Outro ponto que me chamou muito a atenção foi a natureza multicultural de Melbourne, com imigrantes vindos de várias partes do mundo. Dessa forma, foi possível ter contato com diversas manifestações culturais em um único lugar. Eu acredito que esse contato traz um aprendizado diferente do que é ensinado nas universidades, por exemplo, porém tão valioso quanto, sendo que esse tipo de conhecimento é um passo essencial na busca por tolerância e paz.Estudar no exterior pode ser uma experiência diferente para cada um. Enquanto alguns se interessam em aprender um novo idioma, outros buscam por parcerias e contatos na área profissional. Ainda assim, é possível afirmar que estudar no exterior traz inúmeros benefícios para a vida profissional e pessoal de todos os estudantes que encaram tal desafio (ou pelo menos para a maioria deles). Para isso é necessário aproveitar ao máximo o que o programa de intercâmbio, a universidade estrangeira e o país de destino tem a oferecer. Eu considero que para mim, o período mais crítico do processo inteiro foi a etapa da seleção do candidato. É uma parte que envolve muito planejamento, ansiedade e “correria” para entregar a documentação no prazo certo. Durante o processo de inscrição do programa é necessário estar sempre atento as informações fornecidas no edital (cronograma e documentos requeridos). Algo que poderia ajudar nessa etapa é pedir auxílio a algum estudante que já participou do processo de seleção e que já esteja na universidade ou país de interesse do candidato. Conseguir o máximo de informações possíveis sobre as universidades cadastradas no programa, como cursos em destaque e disciplinas ofertadas também é essencial para a escolha da universidade e, consequentemente, para um bom aproveitamento do intercâmbio acadêmico. Se informar sobre a cidade e a cultura do local de destino também ajuda a minimizar choque cultural e ajudar na adaptação do aluno.   

 Juliana Marques 2

 NOME: Juliana Marques Ferrari

CURSO:Agronomia

DESTINO: Estados Unidos , Manhattan, Kansas

DEPOIMENTO:

O que me motivou a estudar no exterior foi primeiramente a vontade de ficar fluente em inglês, mas a ideia de poder viver a experiência de um intercâmbio, estudar em uma universidade nos Estados Unidos, poder conhecer uma nova cultura, novas pessoas, e novos lugares com tudo pago era muito tentador. Tirei de mais relevante nessa experiência primeiramente as pessoas que conheci, nada seria tão especial se não fossem a oportunidade de conhecer pessoas especiais. Mas com certeza a fluência no inglês, os conhecimentos de Agronomia dos Estados Unidos, o conhecimento sobre o país de intercâmbio como de outros países através de estudantes internacionais, e o meu estágio na empresa Syngenta. E principalmente uma visão do Brasil, e do mundo diferente. Eu altamente recomendo um intercâmbio. O ponto mais difícil é deixar a família e amigos para trás e perder tudo o que acontecer durante o período do intercâmbio. Porém é apenas por mais ou menos 1 ano e logo, logo chegará o retorno. E a oportunidade de aprender e ficar fluente em uma nova língua, poder estudar o seu curso em uma universidade de excelente qualidade, e conhecer um novo país, uma nova cultura, e novos lugares e tudo isso sem ter que pagar nada, é praticamente irrecusável!

 

 Kelvem

NOME: Kelvem Kizan Alves

CURSO: Engenharia Civil

DESTINO: Estados Unidos da America / Evansville (IN)

 

DEPOIMENTO:

A chance de conhecer novas culturas e novas oportunidades de aprendizado me motivou a realizar a mobilidade acadêmica. Eu gostei da experiência que tive na faculdade em relação a toda cultura e trabalho conjunto que tive na faculdade tanto com os brasileiros como outros alunos estrangeiros, assim como da oportunidade de aprender inglês no país de origem da língua. Diria aos estudantes que têm interesse em estudar no exterior para seguirem em frente com o sonho, pois apesar de muitas dificuldades que você enfrenta durante o processo, o resultado vai valer muito mais que tudo o que ele passou pra chegar no local escolhido.

 

       Kleber Macedo

NOME: Kléber Macedo Cabral

CURSO: Engenharia Electrotécnica e de Computadores

DESTINO: Portugal – Porto

 

DEPOIMENTO:

Sempre tive o interesse de conhecer novas culturas, novos costumes, novos modos de lidar com as situações no cotidiano, além do fato de ter a oportunidade estudar na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, uma das 10 melhores da Europa. O que tirei de mais relevante da mobilidade acadêmica além do enorme crescimento pessoal, de estar em contato com não só uma, mas várias culturas diferentes (devido ao contato com outros intercambistas), também a possibilidade de se desenvolver melhor profissionalmente através dos bons laboratórios, o que incentiva a pesquisa e o desenvolvimento de projetos concretos. A todos que têm essa vontade, aconselho a irem atrás das oportunidades que existem atualmente, e que não desanimem com as inúmeras barreiras (burocráticas, culturais, sociais ou financeiras) que aparecem pelo caminho. A experiência é gratificante!

            Lohayne Vilela

 NOME: Lohayne Vilela Rocha

CURSO: Engenharia Mecânica

DESTINO: Estados Unidos, Cincinnati

 

DEPOIMENTO:

A oportunidade de cursar disciplinas que eu não cursaria na UFG, além do enriquecimento cultural e contato com uma nova língua, que vem a ser muito importante em minha área de atuação foram fatores que me motivaram a estudar no exterior. Gostei muito das disciplinas que cursei aqui. Muitas delas relacionadas ao setor de energias renováveis, já que o Brasil é um país riquíssimo em recursos. O que achei mais relevante foi o método de ensino/aprendizagem. Os alunos são avaliados em muitos critérios diferentes (presença, tarefas de casa, trabalhos em grupos, quizes, e provas) e as aulas são mais curtas e dinâmicas que as usuais aulas da engenharia. Eu diria que é uma oportunidade ímpar e que vale a pena se dedicar a essa experiência. O processo de entrosamento cultural e com a língua estrangeira foi muito mais agradável e simples do que esperava. Eu acredito que esse tipo de experiência é capaz de nos moldar e aperfeiçoar como seres humanos, já que somos submetidos a uma diferente realidade.  

     Marcella Ávilla

 NOME: Marcella Avila de Souza

CURSO: Biologia

DESTINO: Austrália ,  Gold Coast

 

DEPOIMENTO:

Tive como objetivo principal a busca por outra cultura, aprendizado de um novo idioma, contato com pessoas diferentes e expansão de conhecimento na área de biologia tendo como partida os diferenças abordadas no Brasil e Austrália. Em resumo eu diria que não poderia ser nada melhor do que foi. É incalculável o aprendizado que adquiri na oportunidade de trabalhar em um laboratório na Griffith University aprendendo técnicas de estudos em genética e aspectos éticos relacionados aos experimentos. Fluência em outro idioma acredito que seja outro aspecto a ser ressaltado, domínio de Inglês é um importante diferencial para qualquer estudante e profissional atualmente, acredito que isto abrira portas promissoras em um futuro próximo. Aos estudantes que têm interesse na mobilidade acadêmica, diria que independente das enormes dificuldades que serão enfrentadas, os lucros são ainda maiores. Cada segundo vivido em um intercâmbio deve ser aproveitado da melhor e mais intensa forma possível, porque o tempo passa rápido e quando menos se espera é hora de voltar pra casa. É uma experiência FANTÁSTICA e aconselharia fortemente para todos os estudantes brasileiros. Trago memórias e experiências inexplicáveis! 

     Murielly

NOME: Murielly Sthefhany de Almeida Calaça

CURSO: Engenharia Elétrica

DESTINO: Bélgica, Leuven

DEPOIMENTO:

Eu sempre tive uma grande curiosidade acerca de outras culturas, além disso, a abordagem diferente ao ensino e a oportunidade de conhecer campos da minha área de conhecimento que não são muito explorados no Brasil me atraíram. Poder aprender uma língua nova e aprimorar a que eu já sabia, e claro, a valorização que uma experiência internacional tem no currículo me incentivaram ainda mais. São tantas coisas. Em termos acadêmicos, a autonomia que é dada ao aluno para estudar foi bem construtiva e tem melhorado meu desempenho aqui no Brasil. A Bélgica, apesar de ser um país pequeno, é um ninho de culturas diferentes somando-se o grande número de estudantes internacionais na minha cidade de destino, foi uma grande experiência cultural. Já estar preparado para uma forma de ensino muito diferente do Brasil, em que existe um certo distanciamento entre professor e aluno, e é dada uma maior independência ao aluno para seu aprendizado. É bom aproveitar esse período para se aventurar por outras áreas que não seja a do foco principal do nosso curso original, eu fiz isso e acabei por encontrar a área em que desejo me especializar no futuro. Ter cabeça aberta porque o choque de realidade é grande. É uma ótima oportunidade para fazer networking com brasileiros e, principalmente, com estrangeiros. 

              Murillo Marco

NOME: Murillo Marco Carvalho Cunha

CURSO: Estatística

DESTINO: Estados Unidos , Chicago-Illinois

 

DEPOIMENTO:

Fui motivado pelo interesse de explorar a vida e os estudos em um país diferente onde encontraria muito entretenimento com pessoas de diferentes partes do mundo. Ir pra uma sala de aula e assistir uma aula do seu curso em outro país, observar a metodologia e conversar com os alunos e professores é sensacional. Lá a gente percebe como a globalização consegue eficientemente encurtar distâncias e transmitir informações, pois podemos estudar qualquer coisa em quase todo lugar do mundo.Mas fora da sala de aula, digo que não tem preço você conhecer e fazer amizade com pessoas de diferentes partes do mundo perguntar como é a vida deles nos seus respectivos países e entender as diferenças e semelhanças. Enfim, cada bate-papo é uma novidade e essa interação é muito gratificante.Eu diria aos estudantes que têm interesse em realizar a mobilidade acadêmica que a aventura vale a pena. Quebrar as barreiras de comunicação com uma nova língua é recompensador. Não tenha medo, vá viver e explorar a vida. Ter a experiência de ficar longe de tudo que você era acostumado/a e sair sozinho/a vai te fazer aprender muito sobre o mundo, as pessoas, e principalmente sobre você mesmo.

      Nadine

NOME: Nadine Moreira Costa

CURSO: Engenharia de Produção

DESTINO: Canadá,  Montréal

 

DEPOIMENTO:

Sem dúvidas, o que mais me motivou a participar desse intercâmbio foi, não somente, a imersão em uma cultura nova e o aprofundamento de conhecimentos na língua estrangeira, mas mais importante foi a possibilidade de angariar conhecimentos e práticas no meu campo de estudos. Tinha certeza de que no futuro me propiciaria tanto o ganho e crescimento pessoal, quanto educacional e profissional, por ter tido a oportunidade de estagiar fora do país. Todos esses pontos tiveram um grande peso quando me inscrevi para passar essa temporada fora.Posso dizer que uma das etapas do intercâmbio que mais tive interesse e que mais me identifiquei foi o estágio em uma empresa Canadense. Um estágio por si só já nos prepara bastante de uma forma prática, para futuros empregos, logo, poder ter realizado o estágio em um ambiente totalmente novo e regido por práticas e hábitos diferentes dos brasileiros, abre a mente para troca de conhecimentos e visões que podem vir a auxiliar na hora da tomada de decisão aqui no Brasil. Além disso, a empresa em que estagiei está num ramo que sempre me identifiquei bastante e pude ver que muito ainda era, por mim, desconhecido. No entanto, tanto no período na universidade, quanto no estágio, convivi em um ambiente multicultural e me possibilitou lidar melhor com pessoas, tarefas e problemas e adaptar-me a novos meios, criando assim, mais flexibilidade, iniciativa e habilidade de trabalho em equipe.O período cursado na universidade também foi de grande proveito e experiência, pois o sistema de ensino é diferente do estudado aqui no Brasil. Certamente, uma dedicação maior pela nossa parte devido ao idioma, no entanto, como dito acima, o fato de diversos alunos de culturas que não Canadenses, também estarem cursando as disciplinas, te dá um impulso e incentivo a mais. Por fim, as atividades extracurriculares dirigidas por organizações vinculadas a universidade canadense, foi outra área de bastante proveito e conhecimento durante esse ano fora do país. O incentivo a associações e organizações e a participação do aluno em tais é imenso e até mais do que na sala de aula, propicia ao aluno um crescimento imenso. Como tais organizações, cito: Engenheiros sem Fronteiras, AIESEC e CISA- Concordia International Student Association (Associação de alunos internacionais da Universidade Concordia). 

    Natalia França

NOME: Natália Franca Camargo

CURSO: Odontologia

DESTINO: Canadá- Toronto

 

DEPOIMENTO:

O que mais me motivou a querer estudar no exterior foi o desejo de mudança e a oportunidade de ser um estudante diferenciado. Eu fazia ideia que ia estudar em outra universidade e me tornar fluente em uma nova língua e imaginava o quão positivo isso seria para minha vida. Hoje, eu posso dizer que ter vivido esses meses fora do país foi umas melhores coisas que já aconteceu na minha vida.A experiência em si é carregada de crescimento. O fato de ter que tomar suas próprias decisões e ter que viver por si mesmo trás um amadurecimento enorme. Além da vivência em outro país, o que possibilita o contraste com uma realidade a qual nós viemos, e que com o passar dos meses se torna a realidade em que você se habituou e que deseja permanecer. Eu diria que é impossível passar como uma experiência como essa e não crescer como pessoa. Os pequenos desafios e superações diárias nos fazem perceber que podemos ser mais fortes que pensamos e que as coisas podem ser simples como parecem. Como por exemplo, a confiança na apresentação de trabalhos na língua nativa e a desenvoltura em saber se comunicar com as pessoas em lojas ou mesmo nas ruas. Eu costumava enxergar essas pequenas evoluções diariamente, e tinha consciência de que estar vivendo lá era um momento único e que teria repercussão no meu futuro. O fato de conhecer várias culturas de perto fez com que eu me despisse de alguns conceitos pré-formados e que me tornasse mais crítica e consciente em relação ao mundo em que vivemos. Aprendi que é possível se adaptar ao novo, desconhecido e ao diferente. E que tudo é uma questão de percepção. O que é mais relevante nessa experiência é a transformação feita em mim, que me tornei uma pessoa mais forte, segura e aberta para o mundo. Para todos vocês que querem estudar e passar um tempo no exterior: vão em frente! Não deixem que o medo e a incerteza façam com que vocês desistam desse sonho. Isso é sim um sonho, e muito bonito. È mágico poder viver em uma cidade com uma das melhores qualidade de vida do mundo onde muita gente vem passar férias. É mágico poder ver gente de várias culturas vivendo com respeito. È maravilhoso ver que o mundo é muito maior do que a história que nos contam. Vocês não irão se arrepender de se arriscar, e se tiverem coragem de sair da zona de conforto para viver em uma realidade inicialmente desconhecida. Ao contrário de que muita gente pode pensar um intercâmbio não é feito só de alegrias. Muito pelo contrário, apesar de muitas alegrias eu também tive muitas lágrimas. Existem momentos de sofrimento e decepções, é uma vida normal onde existe rotina, altos e baixos e não uma colônia de férias como dizem as más línguas. Mas, isso tudo é muito importante para o crescimento e superação que vão ser o grande diferencial de quem sai da sua zona de conforto. Ao final de tudo, o que importa é que tudo que foi vivido é essencial para seu crescimento. 

     Pedro Eugenio

NOME: Pedro Eugênio Vieira da Silva

CURSO: Biotecnologia

DESTINO: Espanha, Tarragona

 

DEPOIMENTO:

Investir na futura carreira profissional, aumentar a independência e a autoconfiança, praticar um novo idioma e conhecer uma nova cultura foi o que motivou a realizar a mobilidade acadêmica. O que tirei de mais relevante foi a aprendizagem do idioma local, amigos e convívio com uma cultura diferente. Não vou dizer que é fácil. Mas se me perguntarem se eu faria uma escolha diferente eu com toda a certeza do mundo diria que não, pois vale a pena todo o esforço. Você adquire muito mais do que conhecimento profissional você faz amizades, conhece de uma outra cultura e idioma. No final das contas você adquire uma bagagem imensurável incapaz de ser adquirida em qualquer livro de uma biblioteca.

   Katiucya Juliana

NOME: Katiucya Juliana Rodrigues de Lima

CURSO: Engenharia de Producao

DESTINO: Columbia, Missouri, Estados Unidos da América

 

DEPOIMENTO:

Primeiramente, ver colegas e amigos indo estudar fora, vivendo essa experiência, foi muito motivador. E depois disso, a vontade de novos desafios, de mais conhecimento e de crescer. Uma das coisas que mais gostei foi a infraestrutura da Universidade em que estudei (University of Missouri). É uma universidade enorme, que tanto para os estudos, quanto para o lazer, traz muitas oportunidades e oferece  muitos recursos aos alunos. A experiência na Universidade, convivendo com pessoas do mundo todo foi muito divertida e surpreendente, a cada dia fui aprendendo coisas novas sobre diversos países, conhecendo novas pessoas, e vivenciando coisas que só os Estados Unidos podem oferecer. Oportunidades como essa do Ciências sem Fronteiras são únicas e muito valiosas. Diria a todos que tem esse sonho e essa oportunidade, que façam proveito dela, que deixem o medo para trás e embarquem nessa aventura. É difícil, requer alguns sacrifícios, mas é prazeroso. É uma forma de sair da zona de conforto, e de perceber o mundo enorme que temos diante de nós. É uma chance de vivenciar momentos novos e únicos, crescer intelectualmente, abrir portas para o futuro, abrir a mente, e levar na mala para o Brasil mais conhecimento, muitas memórias e amigos. 

     Daniela Dering de Lima Silva

NOME: Daniela Dering de Lima Silva

DESTINO: Canadá-Oshawa

 

DEPOIMENTO:

A vontade de aprender a falar outro idioma fluentemete. Embora eu já fizesse curso de inglês no Brasil eu sabia que poderia dominar melhor o idioma se fizesse intercâmbio em um país de língua inglesa. O que eu mais gostei foi a maneira como as aulas eram organizadas na minha instituição de ensino, os professores eram capacitados e os laboratórios organizados. Graças a essa experiência eu descobri novas áreas de trabalho, numa das quais eu quero seguir carreira. É uma experiência única mas infelizmente ela também mostra o abismo que separa o Brasil de um país de primeiro mundo. Os laboratórios do college que frequentei no exterior eram muito melhores que o da minha faculdade no Brasil, o mesmo vale para os professores, os quais, além disso, também tinham mais experiência. 

 Reiner

NOME: Reiner Silveira de Moraes

CURSO: Medicina Veterinária

DESTINO: Canadá, Edmonton – Alberta

 

DEPOIMENTO:

O que me motivou a estudar no exterior foi primeiramente a vontade de me aperfeiçoar em uma segunda língua que no caso é o inglês e segundo a curiosidade de conhecer o ensino aplicado na Medicina Veterinária em uma universidade estrangeira. Nesse caso também incluem as questões sociais e culturais. Durante o período que morei no Canadá o que mais me chamou atenção foi a educação dos Canadenses em geral. Todos incluindo crianças, jovens, adultos e idosos são muito educados. Eles pedem desculpa, licença pra quase tudo que eles fazem. Algumas vezes nem existe necessidade de pedir desculpa, mas mesmo assim eles pedem desculpa o que me deixou impressionado e admirado. Com relação ao que tirei de mais relevante da minha experiência no Canadá, eu diria que foi a nível acadêmico. Aprendi muito com a metodologia de ensino adotado na universidade e não menos importante, eu percebi que sou capaz de me esforçar e conseguir aquilo que me é exigido em uma universidade no exterior. Para os estudantes que têm interesse na mobilidade acadêmica, digo: não percam a oportunidade de estudar em uma universidade estrangeira caso essa oportunidade apareça porque é uma experiência incrível, a gente aprende muito, cresce a nível pessoal, conhece novas culturas e  se torna uma pessoa mais madura! 

      Ricardo

NOME: Ricardo Henrique Fonseca Alves

CURSO:  Engenharia Elétrica

DESTINO:  Estados Unidos / Ewing-NJ

 

DEPOIMENTO:

O que mais me motivou a estudar no exterior foi a vontade de aperfeiçoar o meu conhecimento da língua inglesa (habilidade extremamente importante para futuros engenheiros) e também para aprender e aperfeiçoar técnicas na minha área por meio das tecnologias desenvolvidas nos EUA.O que mais gostei sem dúvida foi o crescimento pessoal que desenvolvi. Pude por meio do intercâmbio ter uma nova visão de mundo e também aprendi diversas técnicas na minha área que poderei com certeza aplicar aqui no Brasil. O que tirei de mais relevante foi o conhecimento técnico e científico que pude desenvolver durante minha estadia nos EUA.Eu diria que é uma oportunidade única na vida, e que o conhecimento que você adquire em um intercâmbio vai além do que se é possível imaginar!

      Sarah

NOME: Sarah Jhayse de Araújo Lima

CURSO: Nutrição

DESTINO: Estados Unidos da América – Cidades: Eau Claire e La Crosse

DEPOIMENTO:

Os motivos pelos quais me inscrevi no programa de intercâmbio foram a possibilidade de aprender outro idioma através do contato com nativos, aprender sobre diferentes culturas e enriquecer minha formação acadêmica. O intercâmbio acadêmico foi uma experiência enriquecedora, que me permitiu conhecer pessoas de diferentes países, entre eles Japão, China, Arábia Saudita, Alemanha. Além disso, o intercâmbio me tornou uma pessoa mais independente e comunicativa. Meu conselho para estudantes que têm interesse em estudar no interior é procurem informações sobre diferentes programas de intercâmbio e bolsas de intercâmbio, faculdades que sejam destaque na sua área de formação e converse com estudantes que já passaram por essa experiência, eles podem dar dicas valiosas. Durante o intercâmbio, aproveite ao máximo a oportunidade acadêmica, procure professores para desenvolver pesquisas. Além disso, faça amigos durante esse período, você irá aprender muito dentro e fora de classe, com a experiência de pessoas que possuem culturas diferentes da sua. O intercâmbio é uma experiência que ampliará sua visão de mundo.  

               Wallison

NOME: Walisson Gobbo de Aguas

CURSO: Engenharia Elétrica

DESTINO: Estados Unidos, Atlanta GA, Maço GA

 

DEPOIMENTO:    

O que me motivou a estudar no exterior primeiramente foi a busca de novos conhecimentos na minha área e em outras culturas. O conhecimento adquirido não é somente acadêmico, mas envolve toda uma adaptação da cultura local que envolve desde o jeito de vestir até a adaptação com a comida. Tudo isso proporciona não somente a mim mas também a todos os participantes de programas de intercâmbio internacional. O crescimento intelectual do aluno é grande e vale muito a pena participar.O que tirei de mais relevante foi da independência pessoal que tive e principalmente poder fazer escolhas que melhor me favorecesse. Pude conhecer a cultura do país através de algumas viagens. Como um todo gostei bastante pois a experiência foi única. Digo que foi uma experiência única e lógico que recomendo a todos interessados que vá, pois seu modo de pensar e agir mudam consideravelmente. Eu me tornei uma pessoa melhor e com a mente mais aberta. Aprendi com meus tropeços mas sei que dificilmente voltarão a acontecer. Vá e desfrute dessa experiência!

  

          luma

NOME: Luma Tatiana Silva Castro

DESTINO: Laramie, Wyoming, Estados Unidos

 

DEPOIMENTO:

A minha grande motivação para estudar no exterior foi sempre a qualificação profissional que esta experiência iria me proporcionar. Ter em meu currículo o nome de uma instituição internacional sempre foi meu grande propósito. Em meu ponto de vista, o intercâmbio de conhecimentos entre Brasil e Estados Unidos é de extrema relevância em minha área. Aprender técnicas que estão sendo usadas nos Estados Unidos e compará-las ao que esta sendo feito no Brasil permite-me uma nova perspectiva da minha área, tornando-me um profissional mais completo. O ganho cultural e aprimoramento do inglês também são extremamente relevantes neste processo e tiveram papel relevante para que eu tomasse a decisão de estudar fora. Acredito que eu me tornei mais patriota. Hoje eu reconheço e tenho orgulho de dizer que sou cidadã brasileira. Estar imerso em uma nova cultura me fez valorizar a minha própria. Divulgar para americanos e outras cidadanias o que é o Brasil, fez de mim uma pessoa mais consciente sobre o meu próprio pais. Cada experiência vivida aqui eu me proporcionou ganhos imensuráveis. O contato com diferentes culturas, a língua, o estudo.. cada pequena coisa vivida aqui me afetou positivamente. Novas perspectivas surgiram, novas teorias sobre o mundo, sobre o meu curso... tudo aqui foi ganho, não houve nada que eu não desgostei. Cada barreira posta me fez aprender que não ha limites quando se quer com vontade. Conseguir ultrapassá-las podendo saborear o gosto de superação e vitória foi maravilhoso!Para viver a experiência plena do intercambio você deve estar preparado para enfrentar dificuldades e saber lidar com elas da melhor maneira possível. As dificuldades são diárias: do diálogo com o caixa de supermercado por um produto que você não sabe o nome às aulas que você assiste e tem que entender para fazer os exames. O diferencial de um intercambista bem-sucedido é não ter vergonha perante as dificuldades que vão surgir. É preciso encará-las da forma mais positiva possivel para poder se maravilhar com essa grande experiência profissional e pessoal. 

 eduardo

NOME: Eduardo Horst Diaz Quijano

DESTINO: Regina, Saskatchewan, Canadá

 

DEPOIMENTO:

O que me motivou foi a possibilidade de testar os meus conhecimentos e nível de aprendizado usando como parâmetro uma instituição estrangeira. O mais importante foi perceber que apesar da superioridade estrutural da instituição em que estou, o nível de ensino pode ser considerado o mesmo, apesar de usar sistemas de ensino muito diferentes. Façam uma boa análise dos cursos aos quais vocês querem fazer no exterior, em especial aos pré-requisitos, o sistema de ensino de outro país é muito diferente do sistema brasileiro, incompatibilidade de grades e até de nível de aprofundamento de certas disciplinas precisam ser cuidadosamente analisados. 

                elisa

NOME: Elisa Soares Ferreira Cruz

DESTINO:| Morgantown, West Virginia, USA

 

DEPOIMENTO:

Sempre quis fazer intercâmbio, então surgiu a oportunidade do Ciência sem Fronteiras, que me oferecia uma bolsa muito boa e ótimas condições. Sempre quis estudar no exterior para ter uma visão de mundo mais ampla, conhecer outras culturas e pessoas, praticar outra língua, sair da zona de conforto e viver em uma realidade diferente. Foi uma experiência de vida inesquecível. Amplia a visão de mundo, te faz olhar para sua realidade com outros olhos, amadurece seus pensamentos sobre outras culturas e sobre a sua prória, é uma evolução de conhecimento. Digo a quem pensa em fazer um intercâmbio para procurar uma oportunidade, como o Programa Ciência sem Fronteiras, e não deixar de fazer, porque vale muito a pena. Estudar outra língua e não ter receio de fazer os testes de proficiência. É uma experiência, no mínimo, enriquecedora.

   Priscila Cabral

 NOME: Priscila Cabral Silveira

DESTINO: Missoula, Estados Unidos

 

DEPOIMENTO:

Fiquei motivada pela qualidade de ensino no exterior bem como a grande oportunidade de formar uma rede profissional internacional. Gostei muito da organização da universidade, qualidade de ensino e a atenção dada aos estudantes estrangeiros. Além disso, a oportunidade de conhecer culturas do mundo inteiro em um só lugar. Se você tem interesse em estudar no exterior, faça-o. É uma experiência indescritível. Você terá benefícios tanto acadêmicos, profissionais e pessoais. Conhecer diferentes culturas, conhecer sistemas de ensino e trabalho diferentes abrem a mente e te deixam com vontade de conhecer um mundo que vai além do seu. 

   Jordana Maria

NOME: Jordana Maria Azevedo

DESTINO:  Estados Unidos

 

DEPOIMENTO: 

Eu queria muito ter independência e poder criar maturidade pessoal e acadêmica. Eu queria muito conhecer o outro lado: a educação de 1º mundo, ter oportunidade de ver com meus próprios olhos a tecnologia de ponta que só ouvia falar, queria poder conhecer grandes pesquisadores e escutar o que eles tinham a me dizer. Ganhar experiência das dificuldades que o mundo real oferece pra eu poder me tornar uma profissional não só capacitada tecnicamente, mas preparada pras dificuldades e obstáculos que a vida pode trazer. O que eu mais gostei foi poder aprender a me virar sozinha, passar por cima das dificuldades, aprender a estudar efetivamente, poder aproveitar o que o professor tem a dizer. Adorei aprofundar em matérias excelentes para o meu curso que aqui no Brasil os professores só passaram por cima. Adorei aprender sobre o lado comercial e administrativo que o cientista deve ter e que eu não tinha noção até então. Gostei de poder fazer atividades que não fazem parte da minha grade curricular mas que me ajudaram a reduzir o estresse e na integração e entendimento da comunidade como Natação e Introdução ao Aconselhamento (um ramo da psicologia). O mais importante é ter força interior para poder suportar os desafios, contornar possíveis frustrações para poder ser bem sucedido em um intercâmbio. É necessário ter confiança em si próprio e na sua língua estrangeira. Ter que ser aberto a mudanças, aberto as diferenças e saber lidar com a saudade. É necessário também ter uma boa noção das matérias básicas, como biologia, matemática, química. Tem que saber ser humilde e anotar qualquer coisa interessante ou possíveis dúvidas e resolver com o professor. Vergonha e timidez não é muito bem-vinda.

                     ana paula

NOME: Ana Paula Souza Santos

DESTINO:  Lisboa, Portugal

 

DEPOIMENTO:

Sempre foi um grande sonho poder vivenciar essa experiência. O que mais gostei foi ver o quão diferente cada país é. É brilhante poder viver em uma cultura bem diferente da sua, conhecer pessoas de cada canto do mundo, aprender um pouquinho de cada língua, amadurecer como profissional e pessoa. Acho que todo mundo deveria ter a oportunidade de ser intercambista pelo menos uma vez. É uma experiência ímpar, provavelmente o melhor ano de sua vida. Vai fazer amigos de todo canto, vai abrir sua mente em relação ao mundo e as pessoas, vai conhecer lugares novos e incríveis. Tudo isso irá refletir no seu futuro como profissional e como um ser humano mais aculturado. 

 pedroaugusto

 NOME: Pedro Augusto de Oliveira Morais

DESTINO:Alcalá de Henares, Espanha

 

DEPOIMENTO:

Foram vários fatores que me motivaram a fazer o intercâmbio. Primeiramente a oportunidade de aprender outra língua, que no caso o espanhol, segundo a oportunidade de conhecer outro país tão distante e com novas culturas. E também por adquirir novos conhecimentos e experiências profissionais. Gostei muito de aprender outra língua, conhecer outros estudantes de química espanhóis e também de outros pais. E de conhecer uma cultura diferente, com um povo com muita historia e orgulho dessas.Gostaria de dizer aos que pretendem fazer um intercâmbio, que é uma ótima oportunidade, não só para o campo profissional, mas também pessoal. Aprende-se muito sobre o país de destino, sobre os costumes, as tradições, as festas conhecidas, os relatos e as historias etc. também se pode conhecer pessoas de outros países também e aprender muito com elas. Dependendo do país de escolha, se pode aprender outra língua ou se aprimora a que já possui. Por ser em outro país e em geral estará sozinho, é normal ter aquele famoso medo, mas logo se adapta e começa a adquirir uma independência pessoal que nunca se penso que teria. Resumindo, é uma oportunidade única, que com certeza se tem suas dificuldades por estar longe da família ou amigos e do lar, mas que aprimora seus conhecimentos, enriquece seu currículo, fornece uma nova visão do que é o mundo e principalmente se aprende muito sobre você mesmo. 

            pedrohenrique

 NOME: Pedro Henrique Monteiro Andrade

DESTINO: Madrid, Espanha

 

DEPOIMENTO:

Eu sempre quis estudar no exterior devido a oportunidade que teria de aprender coisas novas e viver uma cultura diferente da minha. Uma das coisas que mais gostei foi a universidade em que estudei, uma das melhores do país, também com os professores muito bem qualificados e famosos nacional e internacionalmente. Eu diria aos interessados que logo que eles tivessem a oportunidade de participar de um intercâmbio, aproveitassem essa chance, porque o aprendizado vai muito além do que se estuda na faculdade para experiências que guardamos para toda a vida.

                   aretha

 NOME: Aretha de Freitas Moreno

DESTINO: Avignon, França

 

DEPOIMENTO:

Fui motivada pelo conhecimento de uma nova língua, submersão em novas culturas, com pessoas diferentes, além da expansão do conhecimento profissional, já que você é obrigado a se adaptar a novos professores, novos ambientes, novos métodos de estudo e etc. Isso te torna mais maduro em situações adversas e mais flexível, características que julgo fundamentais na vida pessoal e profissional. Para mim, o mais enriquecedor foi o contato com o desconhecido. É incrível o aprendizado, o desafio, o autoconhecimento, a descoberta. Claro que é uma excelente oportunidade para se preparar para o futuro profissional, mas para mim foi a experiência pessoal mais importante que já vivi.  Para os estudantes que se interessam em estudar no exterior, eu recomendo que eles corram muito atrás de uma oportunidade, que se entreguem completamente, aproveitem tudo que puderem, aprendam com os problemas que virão, e façam dessa experiência uma grande descoberta dos outros, e de si mesmo!

    Rafael Correia

 

NOME: Rafael Pacheco Correia

DESTINO: Lleida, Espanha

 

DEPOIMENTO:

O que mais me motivou a estudar no exterior, foi a oportunidade que surgirá depois que eu voltar como propostas de estágio e até empregos, o currículo fica mais forte, além de ficar fluente em outra língua e ter a oportunidade de conhecer novas culturas. O que eu mais gostei foi a nova cultura que conheci, tanto no universo da minha área que é de agronomia, quanto na área social e de trabalho. O que tiro de mais relevante são as novas tecnologias ou tecnologias diferentes que temos no Brasil e que só é possível conhecer vivenciando e trabalhando por um tempo. Uma mensagem que eu deixo para os estudantes que pretendem ir ao exterior é que façam de tudo para que consigam esse interesse, pois é uma experiência única, na melhor fase da vida, sem contar o amadurecimento que o estudante ganha, e o crescimento profissional, podendo voltar ao Brasil com muitos contatos que te ajudarão no futuro.

 Alexandre Marques

NOME: Alexandre Marques

DESTINO: Murcia, Espanha

 

DEPOIMENTO:

O que me motivou foi o  desejo de conhecer novas culturas e costumes, além dos lugares, tão diferentes do ambiente onde vivo. Me relacionar com pessoas com uma noção de vida diferente da minha, baseado em uma realidade distinta. Além disso buscava a experiência de viver em um país com uma língua diferente, para aprendê-la. A relação e o contato que existiu com pessoas do mundo todo foi o que trago como mais valioso. Conviver com outras culturas e formas de pensar, causou em mim um engrandecimento que não poderia ter ocorrido no mesmo período de tempo estando na rotina do Brasil. Além disso o fato de ter conhecido lugares que não me imaginava conhecendo ainda tão jovem foi espetacular, além de muitos outros que até então não conhecia e que os descobri como fascinantes. Eu aconselho todos que tem o interesse de estudar no exterior para buscarem ao máximo fazê-lo, pois é uma experiência única, fantástica, muito rica, que todos deveriam ter a oportunidade de fazê-lo.

 

            Marco Aurelio

 

NOME: Marco Aurélio Neto Ferreira Pacheco

DESTINO: Bolonha, Itália 

 

DEPOIMENTO:

Sempre tive grandíssima curiosidade sobre línguas e sonhei em viver uma nova realidade em um país diferente, já era habituado a viver sozinho e ter minhas próprias responsabilidades, o que proporcionou uma melhor adaptação distante do Brasil. Me apaixonei por línguas, pois acabei conhecendo pessoas de várias partes do mundo, o que me proporcionou uma visão gigantesca sobre as pessoas em si, prioridades e objetivos de vida, além de perceber como viviam as pessoas em outros países e entender o porquê esses, são conhecidos como desenvolvidos, em relação ao Brasil, assim posso perceber o que eles tem que não temos, e esses pequenos detalhes devem ser desenvolvidos no nosso país. Estudantes devem fazer sem sombras de dúvida um intercâmbio, pois o crescimento acadêmico e pessoal será gigantesco, expandindo suas mentes de maneira inimaginável, entretanto devem se preparar psicologicamente, pois não é uma experiência simples, devendo estar cientes que sairão de sua rotina e muitas coisas diferentes e inesperadas podem acontecer.

 

 Natália Grillo Thomé

NOME: Natália Grillo Thomé

DESTINO: Jena, Alemanha

 

DEPOIMENTO:

O que me motivou foi a vontade de conhecer um país de primeiro mundo e como as coisas funcionam por lá. Além de aprender a viver sozinha e aprofundar o aprendizado de alemão. Acredito que ter conhecido pessoas de vários lugares do mundo e que pensam de manerias tão diferentes das nossas, foi o que mais gostei. Além de ter conhecido lugares maravilhosos e ter tido contato com uma faculdade de ponta. Eu diria que todo mundo deve fazer um intercâmbio pelo menos uma vez na vida. Foi a melhor experiência da minha vida e valeu a pena cada segundo.

 

 Nayara

NOME: Nayara Matos Pereira

DESTINO:  Bordeaux, França

 

DEPOIMENTO:

A expectativa de entrar em contato com um método de ensino diferente, quiçá mais eficaz que me proporcionasse uma visão ampliada da Medicina me motivou a participar de um intercâmbio. E de fato, tive a oportunidade de vivenciar dificuldades diferentes das que encontramos aqui, e pude principalmente ver como o Brasil não está aquém da França quanto ao ensino médico, apesar das nossas barreiras financeiras e de gestão.Indubitavelmente cresci.Visitei várias cidades, consegui me comunicar usando a língua estrangeira, integrei-me na rotina em que estagiei e conheci pessoas memoráveis que são excelentes no que fazem. Aprendi muito. E faria tudo novamente. 

 

 Pedro H de Oliveira

NOME: Pedro Henrique de Oliveira Carvalho

DESTINO: Coimbra, Portugal

 

DEPOIMENTO: 

Fui motivado pelo auxilio financeiro, pela vontade de morar e estudar na Europa e pela vontade de aprender mais sobre outras culturas. Gostei da experiência de estudar numa Universidade tão renomada como a Universidade de Coimbra, oportunidade de aprender, aperfeiçoar e praticar a língua inglesa e a oportunidade de realizar estágio curricular em uma Indústria Farmacêutica Europeia. Tentem. Não deixem de tentar. Foi a melhor experiência que já aconteceu na minha vida, em relação ao crescimento profissional e também pessoal. Abre a mente e você vê que nada é tão difícil quanto parece ser.

              Luiz Henrique Gonçalves de Rezende

 

NOME: Luiz Henrique Gonçalves de Rezende

DESTINO: Évora, Portugal

 

DEPOIMENTO:

Dentre as motivações que tive estão a oportunidade de estudar em outra universidade, de conhecer outro país e outra cultura. Agregar valor ao meu currículo profissional e enriquecer minha rede de contatos acadêmicos. Também foi de grade motivação a chance de amadurecimento pessoal. O que mais gostei foi sem dúvida o amadurecimento pessoal e profissional. Ver de fora meu próprio país permitiu-me interpretar melhor seus aspectos sociais e culturais. Também os desafios cotidianos de lidar com os próprios problemas me ensinaram a administrá-los e a encontrar nos erros a oportunidade de melhora. Isso tudo, somado à vivência e aprendizados em um ambiente acadêmico externo ao meu, certamente refletirá na minha postura profissional. Recomendo aos estudantes que de fato tentem o intercâmbio, pois sempre valerá a pena. Se aprimorem na língua nativa do país de escolha e façam uma pesquisa exaustiva das oportunidades que as universidades estrangeiras podem oferecer, dentre elas os estágios. Fazer um intercâmbio na graduação é excelente, entretanto, pode resultar em uma experiência ineficiente e com resultados duvidosos se o aluno que se propõe a ela não tiver maturidade suficiente para aproveitá-lo ao máximo.

 

 Julliana Pereira

 

NOME: Julliana Pereira da Cunha

DESTINO: Jordanstown - Irlanda do Norte

 

DEPOIMENTO:

Minha maior motivação foi a oportunidade de adquirir fluência no inglês, além da possibilidade de criar uma rede de contatos profissional mais ampla. Gostei muito do estágio que realizei e da oportunidade que tive de trabalhar com tecnologia nova e promissora. Também adorei ver uma abordagem diferente na universidade e, é claro, de conhecer e conviver com as mais diversas culturas. Por esses e outros tantos motivos, aprendi com essa experiência a lidar melhor com problemas e desafios, a ser ainda mais independente e inovar em todos os campos da vida. Atingi também um nível avançado de inglês, que me ajudará muito na minha carreira, fiz muitos contatos profissionais e passei a compreender outras culturas, deixando muitos estereótipos para trás. É uma experiência incrível e única; é impossível compreender sem vivê-la. Além disso, as oportunidades vêm crescendo expressivamente e é um desperdício não aproveitá-las. Por mais que a parte burocrática tome tempo, que se afastar um período signifique fugir um pouco dos planos, ou que o desconforto da mudança pareça um grande desafio, o ganho resultante de estudar no exterior compensa e muito. É impossível voltar sendo a mesma pessoa; algo é sempre incorporado e melhorado. A proporção desse efeito depende do estudante e do quanto ele faz valer a pena. Este é o momento de se surpreender e fazer diferente; ser mais do que nós somos e aprender com isso.

 

 marco tulio

NOME: Marco Tulio Santana Campos Silva

CURSO: Engenharia Civil

DESTINO: Estados Unidos - Lincoln, Nebraska E Melbourne, Florida.

 

DEPOIMENTO:

Como estudante do curso de Engenharia Civil, eu tinha ciência do qual desenvolvido os Estados Unidos são nessa área, então, nada melhor do que aprender com os melhores. Algumas áreas, como Rodovias, são muito boas nesse país e fui atrás disso. Além disso, foi uma oportunidade de amadurecimento e crescimento pessoal. Não eh fácil ficar um ano longe de todos os familiares e amigos, mas eu sabia que com essa oportunidade, eu me tornaria mais independente e maduro. O que mais gostei, com certeza foi a estrutura da faculdade e da cidade em si. Foi algo fora do normal para mim. As viagens que fiz também foram ótimas, as melhores da minha vida. O método de ensino americano foi algo que me chamou muito a atenção. Creio que me proporcionou um melhor entendimento da matéria por se basear em atividades em casa todas as semanas. Além disso, as notas não ficam focadas apenas em provas, o que ajuda bastante os alunos.  Aos que têm interesse em fazer um intercâmbio internacional  digo que se eles realmente querem fazer: Façam, vão. Não pensem muito, porque acho que intercambio se torna meio assustador quanto mais você pensa nele. Mas se realmente querem, faça na hora. Foram umas das melhores oportunidades que tive na vida e fiquei muito feliz de ter aproveitado ela. Não me arrependo hora nenhuma das minhas escolhas. Muitos alunos não aproveitam para fazer intercambio por conta da saudade que vão sentir, da distancia de tudo, mas eu digo uma coisa: o tempo que você estiver fora vai passar rápido e logo você estará com a sua família novamente.

  

         maria nat

 NOME: Maria Natália Paulino Araújo Alcântara

DESTINO: Estados Unidos, CHICAGO - IL

CURSO: Arquitetura

 

DEPOIMENTO:

Morar em Chicago, IL foi realmente a realização de um sonho, considero a cidade com mais relevância arquitetônica nos Estados Unidos. Tive contato com vários edifícios de arquitetos famosos que só conhecia por livros, onde pude aprimorar meus conhecimentos sobre a Arquitetura e o Urbanismo somado com a oportunidade ímpar de estudar no College of Architecture (Illinois Institute of Technology) cujo prédio foi projetado pelo renomado arquiteto Ludwig Mies Van der Rohe, um dos maiores ícones da arquitetura modernista no mundo. Acredito que a experiência de poder vivenciar Chicago dia após dia, todas as estações do ano foi extremamente gratificante. Me senti realizada em ganhar um certificado do College of Architecture Dean's List (categoria de alunos que alcançou notas altas durante a estadia em um período letivo) e poder participar de um congresso internacional (CTBUH Congress -  Council on Tall Buildings and Urban Habitat) com a presença de Rem Koolhaas. Ao final do intercâmbio tive a chance de estagiar durante o verão em dois escritórios de arquitetura, consequentemente me mudei para San Diego, CA onde pude vivenciar intensamente mais uma cidade americana, que possui cultura, clima e tipologias arquitetônicas diferentes de Chicago. Para os estudantes interessados nessa experiência de estudar no exterior eu recomendo fortemente para todos. É uma oportunidade única e que desenvolve não só o crescimento acadêmico, como também uma série de responsabilidades, que nos torna pessoas melhores. Sem contar a possibilidade de viajar para várias cidades e desbravar o país de destino. São experiências únicas e inenarráveis que indico para quem tem o interesse de ir além.

 Sara Borba Vieira

 

NOME: SARA BORBA VEIRIA

DESTINO: ESTADOS UNIDOS – ARIZONA-TEMPE

CURSO: EDUCAÇÃO FISICA

 

DEPOIMENTO:

A vontade de conhecer outro país, outra língua, outras culturas, assim como outra universidade. A experiência de estudar em uma instituição renomada e com diferentes perspectivas também chamou minha atenção. Também queria viver um tempo sem todo o apoio familiar que tenho aqui, longe da comodidade, para que pudesse enfrentar desafios por mim mesma e aprender com eles. O fato de poder viajar por um país desconhecido também me chamou muito atenção, pois sem a ajuda do programa jamais conseguiria.

Eu gostei de muitas coisas, mas a experiência mais rica foi a de conviver com pessoas de outras culturas, tanto pessoas de outras partes do Brasil como pessoas de diferentes países. Pude aprender um pouco mais sobre diferentes regiões do Brasil, mais sobre sua comida e cultura e sair dos esteriótipos que conhecemos. Conheci pessoas de outras partes da América Latina, e pude perceber o quanto somos distantes dos nossos vizinhos e pouco interessado nas culturas que nos rodeiam, isso despertou em mim um interesse maior em conhecê-las. Conviver com pessoas com uma cultura totalmente diferente, no caso dos chineses, japoneses, árabes e indianos, me fez admirar ainda mais a diversidade cultural e parar de ter um olhar centralizado na cultura ocidental, percebi como podemos ser tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais e conviver em harmonia respeitando as essas diferenças e superar os esteriótipos.

Na convivência com norte-americanos percebi que os Estados Unidos não se resume nos filmes de Hollywood, e que tem muito mais pra conhecer e ser visto, e ao contrário do que muitos pensam, os EUA tem uma cultura rica e diversificada. O que é mais legal é o fato de não só conhecer a cultura dos EUA, mas também a cultura de várias partes do mundo no mesmo lugar, e poucos países tem essa vantagem.

Não pensem duas vezes. Essa foi a melhor experiência da minha vida e vou guardar pra sempre. Não pense no “tempo que seu curso vai atrasar”, foi o “atraso” mais produtivo que já tive. Enfrente sempre os desafios que aparecerem no intercâmbio de forma positiva, dê o seu máximo nas atividades acadêmicas, mas sempre tire tempo pra sair, conhecer o lugar, e fazer tudo que você puder, pois não vai durar pra sempre. Invista nas relações sociais, não se isole ou fique com vergonha de falar o idioma e interagir, como muitas vezes fiquei, mas tente e tente de novo mesmo que as pessoas não sejam extremamente abertas.

A saudade vai bater, as vezes o desânimo, vontade de vir embora, isso tudo passa, e a cada dia você vai se acostumar mais com o lugar e as pessoas, quando você menos perceber vai parecer que sempre fez parte dele. Roupas, eletrônicos, e as compras que fizer vão acabando aos poucos, mas as memórias das viagens que fez dura pra sempre, então se quer um conselho, viaje.

sofia santos

Nome: Sofia dos Santos Menezes

DESTINO: Estados Unidos, Miami.

CURSO: Arquitetura

  

DEPOIMENTO:

Eu sempre quis fazer um intercâmbio para adquirir a experiência de morar em um país diferente e vivenciar uma cultura nova. Além disso, eu quis melhorar meu inglês e poder fazer parte da minha graduação em uma outra universidade que pudesse complementar meus estudos com disciplinas que eu não tenho aqui no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFG.

O que eu mais gostei foi poder ter contato com tecnologias que eu não tenho na faculdade aqui. Na School of Arcihtecture University of Miami eu tive uma disciplina sobre fabricação digital em que pude fazer meus modelos usando uma impressora 3d e dois softwares de modelagem 3d que eram novos pra mim até então. Essa disciplina em conjunto com outra que peguei no semestre seguinte me ajudaram muito e me complementaram como estudante e futura arquiteta e por isso levarei esse aprendizado comigo sempre.

Aos que têm interesse em realizar intercâmbio internacional digo que procurem por universidades de excelência que priorizam as áreas de estudos de sua preferência. Faça do seu intercâmbio uma experiência muito proveitosa tanto no âmbito acadêmico como no cultural. Aproveite muito essa oportunidade. 

 Francisco Antonio

NOME: Francisco Antonio Uchoa Junior

CURSO:  Odontologia

DESTINO: Canadá – Toronto

DEPOIMENTO:

O que me motivou a estudar no exterior foi a oportunidade de fazê-lo com o auxílio financeiro do programa de bolsas de estudos do CsF. Além da experiência acadêmica, o que foi mais relevante na minha experiência foram as situações cotidianas que me levaram a agir com mais maturidade, responsabilidade e tranquilidade. Coisas da minha vida pessoal que irão refletir na minha vida profissional. Eu diria para o estudante que tem interesse em estudar no exterior que, em primeiro lugar, ele deve se empenhar ao aprender e praticar o idioma porque é indispensável que o aluno se comunique bem, que saiba expressar suas ideias. Também diria que um intercâmbio acadêmico é longo e diferente de um intercâmbio cultural curto. No primeiro o estudante tem que estar consciente de que vão haver momentos muito bons e também momentos difíceis, porque apesar da vida de intercambista ter muitos encantos, ela continua sendo uma vida com rotina e responsabilidades.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Listar Todas Voltar